Eu, Marco Antonio, Momento Corrida

Foi uma grata surpresa quando pesquisamos nas redes sociais os influenciadores de corrida de rua e nos deparamos com esse personagem singular: Marco Antonio Lourenço, um cara bonachão, simpático, carismático e acima de tudo um ser humano do bem, como são todos os corredores.

Um cara que teve a ousadia de abrir sua historia para nós, sem nenhum pudor, como se nos convidasse para tomar um chopp na casa dele regado a um excelente churrasco.

Uma historia fascinante, vale a pena ler do começo ao fim. Será um grande aprendizado.

Eis a sua historia:

.

Quem eu sou

“Não tenho porte de atleta nem jeito de campeão, mas eu corro e curiosamente sempre chego onde quero!!”

Anúncios

Meu nome: Marco Antonio Lourenço, 57 anos, nascido na cidade de São Paulo.
Moro em Camanducaia/MG desde 1997. Administrador de Empresas. Idealizador do Momento Corrida nas Redes Sociais. Corredor de Rua desde 2012. Participação em mais de 200 provas: 05 Maratonas, 25 Meias Maratonas, 15 Provas de montanha e trial.

Hoje dedica boa parte do seu tempo e esforço para incentivar pessoas para a prática da corrida e outras atividades físicas. Criador de conteúdo motivacional

Eu e os esportes

Durante toda a minha vida, sempre pratiquei algum tipo de atividade física, geralmente esportes coletivos. Acabava seguindo e me envolvendo em esportes que a turma de amigos também praticava.

Para entender como a minha história com a corrida começou, temos que voltar um pouco no tempo. Em 2009 passei por uma cirurgia de coluna e por consequência disso, os médicos me aconselharam a não praticar mais nenhuma atividades física de impacto.
Isso a princípio me deixou bastante preocupado, mas aos poucos fui ganhando confiança e percebendo que não precisaria ser tão radical assim. Pouco mais de seis meses depois da cirurgia, já estava praticando algumas atividades leves, caminhando e pedalando sem grandes esforços.

Em paralelo, a fisioterapia e o fortalecimento muscular foram me dando a segurança necessária para voos mais altos. Em 2010 já voltava a jogar futebol com os amigos e pedalava distâncias mais longas sem nenhum desconforto ou lesão.

A mudança para Minas

Por razões profissionais, em 2011 me mudei de São Paulo para Minas Gerais, onde tive que me adaptar à nova rotina. O futebol já não era possível e só conseguia um tempo para pedalar aos finais de semana.

Foi então que comecei meus primeiros trotes pelo bairro. Confesso que correr dois quilômetros era uma tortura e a recuperação por sua vez, muito lenta. Era quase impossível correr dois dias seguidos.

Para quem sempre praticou atividades físicas, sentia falta de algo a mais.

A corrida entrou sorrateiramente em minha vida

A corrida me parecia insano, o corpo sofria e a cabeça pedia para parar

Em alguns momentos, tudo aquilo me parecia insano, o corpo sofria e a cabeça por várias vezes pedia para parar, porém aos poucos, foi se tornando prazeroso e o motivação veio da própria vontade de superar meus limites até então desconhecidos.

Amiga e amigos a gente encontra e adota

Corria sozinho pelas ruas de São Paulo e em raras oportunidades corria em parques, mas confesso preferir as ruas, pois faço meus caminhos conforme meu estado de espírito naquele dia.

Não tinha amigos que corriam e não possuía muito conhecimento sobre o assunto e tudo que aprendi foi na prática ou através de pesquisas.

Em março de 2012, tomei coragem e me inscrevi em uma corrida oficial. Já treinava há algum tempo e parti logo para os dez quilômetros. Pronto! Era o que faltava para me apaixonar de vez.

Seis meses depois estava me aventurando em uma prova de dez milhas (dezesseis quilômetros) e logo em seguida, encarando a primeira meia maratona. Em 2015, finalmente, me tornei um maratonista!

E é isso, de lá para cá, nunca mais parei, e não importa onde eu esteja, sempre dedico um tempo aos meus treinos.

Entendendo a corrida e mudando o foco

Hoje eu entendo que a sensação de correr é diferente para quem está começando e para quem já está em estágios mais avançados.

Outro fator importante é o objetivo de cada um. Há os que correm para perder peso, os que buscam a competição e os que simplesmente correm pelo fato de sentirem prazer, e este é o meu caso.

Posso dizer com toda a convicção, que a sensação para quem está começando a correr não é nada agradável e que é por essa razão que muitos desistem nos primeiros passos. As dores, o cansaço, o frio, o calor e principalmente a preguiça falam mais alto que alegria, satisfação e prazer proporcionados.

Eu costumo dizer para quem está começando que: se correr fosse fácil, qualquer um seria corredor. É necessário realmente muita determinação e disciplina para superar essa etapa.

Depois de algum tempo correndo, confesso que ver meu desempenho melhorando e recordes pessoais sendo batidos um atrás do outro, era muito empolgante e viciante. Queria mais e mais!

Mas aos poucos fui mudando a forma de pensar e passei a apreciar a corrida em sua essência. Hoje corro por prazer, não por necessidade ou competição.

Corro por puro prazer, não por necessidade de competição

A sensação se resume em bem-estar, liberdade e alegria. As dores e o cansaço continuam existindo, mas o prazer de correr é muito maior que tudo isso. A preguiça também bate em alguns momentos, nem sempre o corpo está disposto a se exercitar, mesmo assim, procuro não desanimar e manter o foco.

Nós corredores passamos por muitas transições que imitam as maiores mudanças que experimentamos durante a vida. Primeiro, tentamos correr mais rápido, mas então percebemos que não somos USAIN BOLT. Depois, tentamos correr mais longe, e descobrimos que não somos FORREST GUMP. E finalmente, aprendemos a aceitar nossas próprias limitações e apreciar a verdadeira alegria e o significado de correr livre. Então, baseado na minha experiência, posso afirmar que correndo, aprendemos sobre muitos aspectos que podemos levar para a vida. Sabemos que podemos fracassar, mas aprendemos a lidar com as diversidades. Sabemos que virão as dores e cansaço, mas aprendemos que, quase sempre, o cansaço físico é menor que o psicológico. Gostamos de correr com amigos, mas aprendemos a correr sozinhos. Adoramos vencer, mas aprendemos a perder.

Estamos focados em nossos objetivos, mas aprendemos a ajudar quem precisa. Evoluímos individualmente, mas aprendemos a dividir coletivamente. Sabemos que as características de cada um podem influenciar no resultado, mas aprendemos que qualquer um pode se tornar um corredor.

Aprendemos que é algo que podemos fazer sozinhos e sob nosso próprio controle. Para qualquer direção, para perto ou para longe, rápido ou devagar. Por fim, aprendemos que nem sempre seremos vitoriosos, mas temos um coração de corredor, e isso é tudo o que precisamos.

Busco algo além da corrida. Quero inspirar pessoas

A mudança de paradigma

Chegou um momento na minha trajetória como corredor, que percebi que tudo aquilo que eu vivenciava, tanto as coisas boas, quanto aquelas não tão boas assim, poderiam de alguma forma servir de informação, inspiração e motivação para outras pessoas, que assim como eu, não tinham muito conhecimento sobre o assunto.

Comecei a criar algumas publicações tímidas com frases motivacionais em minha página pessoal no Facebook, e percebi que muitas pessoas começaram a se identificar com o que eu falava, mas até então nem pensava em ter nada além disso.

Eu vou ande a corrida acontece

Foi então que meus filhos, que já trabalhavam com mídias sociais, me convenceram a criar uma página para falar especificamente de corrida e com isso, alcançar um público interessado nesse tema.

Surgia então, em fevereiro de 2015, a página “Momento Corrida” (hoje com mais de 158.000 seguidores

https://www.facebook.com/MomentoCorrida)

Depois vieram os vídeos motivacionais no YouTube (11.000 inscritos https://youtube.com/c/MOMENTOCORRIDA) e conteúdos também no Instagram (49.800 seguidores.

https://instagram.com/momento_corrida?utm_medium=copy_link)

Hoje, dedico boa parte do meu tempo na criação de conteúdo para as redes sociais do “Momento Corrida” com o objetivo claro: Aprender e transferir conhecimento, levar informação, inspiração e motivação para outras pessoas.

Em fevereiro de 2021, o Momento Corrida completou 6 anos e lançamos um vídeo para comemorar a data. Emoção do inicio ao fim…

Não queremos chegar na frente, queremos chegar juntos.

Uma oportunidade. Uma momento para mudança de rota

Muitas coisas mudaram na minha vida, a primeira, sem dúvidas, é a questão da disciplina e foco. Disciplina para sweguir o que foi planejado, para cuprir horários e buscar uma alimentação adequada.

Outra mudança: aprender a ter paciência. Assim como foi difícil superar a fase inicial de treinamentos, é natural procurarmos novos desafios, distâncias, percursos, etc. Com isso surgem novas dificuldades e consequentemente os resultados se tornam mais lentos.

Por fim, aprendi a conhecer o meu corpo, a minha capacidade e os meus limites. Sei até onde posso ir, sei também que posso ir além desde que faça um planejamento adequado. Os meus limites e a minha capacidade hoje, com certeza, são muito diferentes de quando comecei a correr. Isso é uma evolução natural de quem se dedica e passa a conhecer seu próprio corpo.

Lições de vida que aprendi correndo:

  1. A PREGUIÇA NUNCA VAI ME ABANDONAR.
    Acordar cedo, treinar no frio, na chuva. Esses e outros fatores serão motivos para você não ter ânimo para correr. A determinação será muito importante nesses momentos. Vou ter que vencer uma batalha a cada dia.
  2. UMA CORRIDA PELA MANHÃ PODE TRANSFORMAR MEU DIA.
    Correr pela manhã, pelo menos para mim, traz uma sensação de bem-estar, ajuda a ser mais eficaz no trabalho e a dormir melhor de noite.
  3. NÃO TEREI RESULTADOS DIFERENTES FAZENDO SEMPRE AS MESMAS COISAS.
    Correr as mesmas distâncias, em um mesmo ritmo, todos os dias, inicialmente proporciona melhora nas condições cardiorrespiratórias. Porém, algumas sessões de treinamento e o corpo estará adaptado ao estímulo, fazendo com que os benefícios se tornem cada vez mais limitados, sendo assim, o ideal é variar a velocidade ou a distância.
  4. CONHECER E RESPEITAR MEUS LIMITES SEM DESACREDITAR NA MINHA CAPACIDADE DE SUPERAÇÃO.
    Sempre que participo de uma prova penso que não usei tudo que tinha no tanque. Mas essa sensação só vem depois da corrida e não durante. A medida que avanço nos treinamentos, entendo e acredito que os resultados podem ser melhores e só vai depender da minha dedicação e capacidade de superar desafios.
  5. A DISCIPLINA É IMPORTANTE, MAS SÓ VOU COLHER FRUTOS SE TIVER PACIÊNCIA.
    Seguir rigorosamente a sua planilha de treinamentos, alimentar-se corretamente, cumprir horários. Tudo isso te levará a atingir os objetivos, mas, à medida que os treinamentos avançam, os resultados se tornam cada vez mais lentos e exigirá muita paciência.
  6. AS BOAS INTENÇÕES NÃO TRAZEM RESULTADOS. TREINAMENTO SIM.
    Não basta pensar, planejar e não cumprir tudo aquilo que foi estabelecido. Os resultados só aparecerão com muita determinação, disciplina e foco.
  7. MEU CORPO PODE IR ALÉM DO QUE IMAGINAVA. É MINHA MENTE QUE TENHO QUE CONVENCER.
    Em muitos momentos durante uma corrida, minha mente tentou me boicotar tentando me convencer a parar. Este é o momento para você mostrar quem é que manda. Convença-se e você chegará cada vez mais longe. Se você correr com o coração, certamente suas pernas irão te acompanhar.
  8. ALIMENTAR CORRETAMENTE.
    Nenhum treinamento será eficiente se não estiver aliado à dieta. O corpo não é um carro, mas também só funciona quando está bem abastecido, ou seja, só vai para a frente se estiver alimentado da maneira adequada.
    Especialmente para quem corre longas distâncias, é preciso ter uma dieta equilibrada, que inclua carboidratos, gorduras, proteínas, fibras, vitaminas e minerais nas quantidades certas.
  9. CORRER É COMPETIR COM VOCÊ MESMO.
    Cada corredor tem seu ritmo e seus limites. Não devo e não posso correr baseado no ritmo e no desempenho de outras pessoas. É um erro querer comparar ou buscar atingir resultados desta forma. Depois de um certo tempo de treinamento e algumas provas realizadas, esse entendimento ficará mais evidente à cada corredor. Você pode não se destacar pelo talento, mas pode vencer pelo esforço.
  10. PLANEJAR TREINAMENTOS E ESTABELECER MINHAS METAS.
    Não importa se você vai correr 1, 5, 10, 21 ou 42KM. É preciso que você estabeleça metas de treinamentos para obter resultados satisfatórios. O que hoje lhe parece difícil, amanhã certamente, será apenas um aquecimento.

Todo esforço valerá a pena

É preciso ter coragem para começar e muita força de vontade para superar a fase inicial. Mas eu posso lhe garantir que tudo que vier depois disso, valerá a pena.

Para quem está começando, se eu puder dar alguns conselhos, serão esses:
• Corra!
• Corra, pela sua saúde.
• Corra, pela sua liberdade.
• Corra, para mudar sua vida, assim como mudou a minha.
• Garanto, os benefícios são muitos, só que a longo prazo.
• Você não pode esperar os anos passarem para comprovar a minha teoria, faça isso hoje!
• Conselhos não têm base confiável além de minha própria experiência.
• Comece hoje e aproveite seu momento de saúde e juventude, ou então, terá que correr atrás.
• Não deixe para perceber isso tarde demais, as oportunidades estão aí, na sua cara.
• Mas você hoje está bem, não é? Está com tudo em cima, não está fora do peso. Não precisa se preocupar com o futuro. Será?
• Experimente mudar, um pouco a cada dia.
• Lembre-se que você fica parado, o tempo não e ele não espera.
• Então mexa-se, cuide-se!
• Cuide de seu corpo, de sua mente. Você vai precisar deles por toda a sua vida.
• Faça suas escolhas e exija mais de seu corpo. Se convença que isso é bom para você, e seu corpo te acompanhará.
• Não tenha medo que as pessoas irão falar. Trace sua meta para um ano, só um ano e estabelecerá um desafio interessante.
• E lembre-se: Hoje será apenas o primeiro dia de uma corrida de 365 dias.

Bom “Momento Corrida” para todos!!