5 dicas para se motivar na pandemia

.

A atividade física é fundamental para a imunidade e para vencer os transtornos de ansiedade e depressão, que podem aflorar em momentos difíceis como o atual.

Mais uma vez o coronavírus nos impõe um cenário sombrio, forçando a adoção de medidas ainda mais restritivas, e elevando nossa ansiedade a níveis alarmantes. Portanto, mais uma vez, precisamos estar atentos para não nos deixarmos envolver pelo ciclo vicioso causado pelos transtornos de ansiedade e depressão, que certamente nos deixarão mais suscetíveis a contrair doenças, inclusive a Covid-19. A ciência já comprovou que manter-se fisicamente ativo é imprescindível nesse momento, tanto para evitar um quadro mais grave de depressão, quanto de Covid. Um estudo publicado na American Jornal of Psychiatry incluindo 34.000 pacientes mostrou que 12% dos casos de depressão puderam ser de fato prevenidos com apenas uma sessão de exercícios por semana. Isso ocorre porque o exercício melhora o humor, confere sensação de “dever cumprido” e contribui para a melhora da autoestima.

Sendo assim, precisamos encontrar meios de driblar a falta de motivação potencializada por esse momento de ansiedade e depressão elevadas e nos mantermos praticando algum tipo de atividade física.

É bastante oportuno destacar que é natural do ser humano tender à procrastinação frente a tarefas que demandam maior esforço. Porém, estudos mostram que sucumbir à falta de motivação e deixar de realizar essas tarefas – neste caso, deixar de praticar exercícios – contribui para o agravamento do transtorno de ansiedade e depressão. Por outro lado, resistir à falta de motivação e concluir as tarefas contribui de maneira importante para atenuar o quadro. Para isso precisamos dar o primeiro passo.

Como sabemos que o primeiro passo é o mais difícil, aqui vão algumas dicas de como se motivar para manter-se ativo:

Anúncios

Não espere estar motivado para começar a se exercitar. Inverta sua forma de pensar. Use o exercício como ferramenta para trazer motivação;

Comece devagar. Nada de traçar objetivos ambiciosos que, se não alcançados, levarão à frustração e à sensação de falha. Seja realista. Lembre-se: um pouco é melhor que nada. Uma volta no quarteirão, subir um lance de escada, tudo é melhor do que passar o dia todo no sofá. Comece pequeno e vá aumentando de acordo com seu grau de condicionamento;

Seja consistente. A frequência com que você pratica a atividade física é mais importante que o tipo de exercício escolhido. Três vezes por semana por um mês é melhor do que todos os dias por apenas uma semana. Crie uma rotina;

Mantenha um registro de atividades e sentimentos. O simples fato de registrar os dias de exercícios e as sensações antes e depois de praticá-los ajuda a combater pensamentos negativistas do tipo: “eu não consigo”, “eu não levo nada a diante”, “isso não adianta nada” etc;

Comemore cada conquista. Não deixe de celebrar cada pequeno objetivo alcançado. Uma maratona é feita de milhares de passos, nem por isso um é menos importante que o outro.

Fisiologista Turíbio Barros