O condicionamento físico e nossa capacidade pulmonar?

A captação de oxigênio pelos pulmões é fator determinante na produção de energia. No entanto, este não é o fator limitante da nossa aptidão física.

Existe um erro conceitual que, de certa forma, é “consagrado pelo uso”. É comum associar um bom condicionamento físico a uma boa capacidade pulmonar, como já tivemos oportunidade de abordar nesta coluna.  A razão desta associação diz respeito ao fato de captarmos oxigênio pelos pulmões e, consequentemente, relacionarmos nossa capacidade de utilizar oxigênio para produzir energia com a capacidade deles.

Claro que a captação de oxigênio pelos pulmões é fator determinante na produção de energia. Entretanto, este não é o fator limitante da nossa aptidão física. Em indivíduos saudáveis, o coração e sua capacidade de bombear sangue é que limitam a chamada aptidão aeróbica.

A pergunta que sempre ocorre é se um treinamento que melhora a capacidade de “bomba“dos pulmões pode aprimorar a aptidão física. Curiosamente, o importante não seria aumentar a potência da bomba pulmonar, mas conseguir que um maior número de vasos sanguíneos prolifere nos pulmões. Esse efeito significaria oxigenar mais ou melhor o sangue e proporcionar uma rede vascular pulmonar aumentada, diminuindo inclusive o trabalho do coração de vencer uma resistência à passagem do sangue pelos pulmões.

Se tivéssemos aumento de vasos sanguíneos nos pulmões, como acontece nos músculos em decorrência do treinamento, teríamos uma melhora significativa da nossa aptidão aeróbica. Infelizmente, temos que aceitar que o treinamento não proporciona este benefício. O treinamento pode condicionar melhor os músculos esqueléticos da caixa torácica, podendo retardar o que se chama de fadiga dos músculos respiratórios.

A capacidade de captação de oxigênio nos pulmões não melhora com o treinamento, levando ao conceito que pode parecer estranho de que os pulmões “não são treináveis”. Certamente, esta regra não vale para pacientes portadores de problemas pulmonares, que podem resgatar uma melhor capacidade de captação de oxigênio com o treinamento da função respiratória.

Anúncios

A melhora de aptidão aeróbica depende da melhora de vários sistemas fisiológicos dos quais a bomba cardíaca é o fator limitante. Por mais que possa parecer estranho, nos indivíduos saudáveis, os pulmões não se adaptam ao treinamento.

 

Turíbio Barros: Mestre e Doutor em Fisiologia do Exercício pela EPM. Foi membro do American College of Sports Medicine, professor e coordenador do Curso de Especialização em Medicina Esportiva  da Unifesp e fisiologista do São Paulo FC e coordenador do Departamento de Fisiologia do E.C. Pinheiros www.drturibio.com

Foto: By Prof. Luis Tavares