Aroldo Geraldo Ferreira, atleta de vida e de corrida

Eu sou Aroldo Geraldo Ferreira, funcionário público, técnico em Monitoração de Rede, nascido na cidade de Diamantina, Minas Gerais, onde morei até os 14 anos.

Eu e meus irmãos: Adalgisa, Rogério, Marcos e Adauri.

Com o falecimento de meus pais, primeiro minha mãe (Geralda Magela Neves), eu estava com 9 anos e 5 anos depois, com 14 anos perdi meu pai (Raimundo Andrade Ferreira). Como Deus não desampara seus filhos, eu e mais 5 irmãos fomos amparados por minha tia, Vanda Lúcia Neves Ferreira, parte de mãe, moradora no Rio de Janeiro. Ela foi até Minas buscar os 6 sobrinhos para morar com ela. Morei com ela até minha vinda para São Paulo em 1982, com 21 anos. Gratidão se resumo esse gesto praticado pela minha tia.

 

Eu e a corrida

 A corrida é minha vida, não sei o que seria se não fosse a corrida, pois nela aprendi ter disciplina, foco e perseverança. Amo correr.

 Costumo dizer a corrida sempre fez parte da minha vida, lógico que com o passar dos anos, com o ganho de experiência a corrida passa ter um outro significado. Hoje não me preocupa mais como pace e sim, curtir o percurso o tempo todo, é uma sensação de bem estar, toda essa magia fluindo em cada poro, somente quem corre sabe do que estou falando. O que mudou em mim, posso afirmar que a corrida me deu um novo estilo de vida.

 A corrida entrou em minha vida de uma forma inusitada. Primeiro foi para acompanhar meus amigos que eram jockey, na época com 15 anos, morava no Rio de Janeiro, trabalhava no Jockey Club. Após o trabalho íamos correr na pista de areia, ou as vezes em volta da lagoa Rodrigo de Freitas. Porém, minha primeira prova oficial de corrida de rua foi em 07/01/2007.

Um amigo comentou sobre a corrida aniversário de Santo Amaro, organizado pelo SESC, as inscrições estavam abertas, conseguir fazer a inscrição para participar dos 10km, e olha que tinha também 5km, Como sempre estava treinando não foi difícil concluir a prova, finalizei os 10km em 01:02:00. Posso então dizer que foi amor a primeira vista, ou amor à primeira corrida.

Anúncios

Apesar de participar de  vez em quando de uma partida de futebol com os amigos , a corrida sempre foi meu esporte preferido. O que efetivamente me levou a competir no circuito de rua, acredito que tenha sido oportunidade, saber que tinha provas de corrida de rua, até então corria sozinho pelas ruas e parques da cidade. Hoje corrida de rua se tornou um grande evento, temos provas por todo planeta.

Leandro, Tati a noiva dele, eu e ela.

Minha melhor corrida, no meu ponto de vista, foi a Maratona de Lima/Peru, realizado em 20/05/2018. Estava inscrito pra fazer a maratona, mas devido a alteração em minha jornada de trabalho não foi possível seguir todos treinos preparatórios para correr uma maratona. Sentindo que não estava no meu melhor momento, conversei com professor Luis da E.C.Tavares, o agente responsável pela nossa viagem. Estava inscrito na maratona , mas estava disposto a correr apenas a meia maratona. Com essa certeza segui para Lima porém, na vespéra da corrida tive uma notícia não muito agradável: o falecimento da minha comadre. Pensei no momento, estou longe não há muito o que fazer, distante da afilhada e da familia para um apoio, uma palavra e abraço de conforte, não tive dúvida vou realizar a maratona 42,195km em homenagem a minha comadre. Para finalizar, corri todo o percurso por incrível que pareça num pace confortável, concluir com o tempo de 04:28:00 . Tenho certeza que onde quer que ela se encontrava deve ter sentido toda a energia da corrida. Para mim foi um feito espetacular…

 Eu e a família

 Sou casado há 35 anos, risos. Eu e a Evanilda nos casamos no dia 15/12/1984 na cidade de Nova Iguaçu – Rio de Janeiro.

Meu maior tesouro

Como marido, tento fazer o de melhor para estar com ela, sempre por perto é um imenso prazer, pois é uma pessoa muito especial. Nos conhecemos na adolescência, entrou na minha vida, e juntos estamos um aprendendo com o outro a se tornar um ser humano melhor. Amor, respeito e paciência, assim vamos seguindo cada novo dia.

 

 

 

Eu e o Leandro, parceiro de corridas

Tenho dois filhos, o Leandro Sampaio Ferreira e o Bruno Sampaio Ferreira. Sou um pai a moda antiga, não sou muito de falar, e sim, demonstrar através do exemplo, acho que aprendi com meu pai, apesar ter falecido na minha infância ele ainda está sempre presente na minha memória.

Eu e Bruno parceiro de corridas.

Como pai, temos obrigação de passar para os filhos um ponto de referência a seguir, na minha opinião melhor herança que podemos deixar, é o exemplo. Sou fã e apaixonado pelos meus filhos.


Como Amigo, sou fiel, amigo você não escolhe, você reencontra, vem de outra vida, pois é um sentimento puro e verdadeiro, e como diz a música de Milton Nascimento: “Amigo é coisa pra se guardar debaixo de sete chaves, dentro do coração”.

 Como esportista, me resumo como um cara disciplinado, muita dedicação, foco no que faço e muita perseverança. Pouca coisa me abate.

 Lesão 

Lesão, essa é uma ótima pergunta, pode acreditar, desconheço, nunca tive. Um dos motivos para não ter sofrido lesão até hoje, acredito ser o planejamento dos treinos, e respeitar sempre meu corpo, pois todos nós temos um limite, isso deve ser levado a sério, corremos em buscar de melhor qualidade de vida.

 Uma pessoa especial

Há uma pessoa na minha vida que considero muito especial: essa pessoa é meu pai, pessoa simples, humilde e ao mesmo tempo de muita sabedoria. Embora fosse uma pessoa de poucas palavras nos deixou um grande exemplo a seguir.

Uma coisa marcou muito a minha infância. Após o falecimento de minha mãe, ele reuniu todos nós, os 7 filhos e falou-nos: – meus filhos sabem de uma coisa? Sei que não vai ser fácil pra ninguém aqui em casa com à falta da mãe de vocês, mas vou fazer de tudo par vivermos juntos e que tenhamos paz e união dentro de casa. Não sei o dia de amanhã, mas se algo vier acontecer comigo só peço uma coisa a vocês, tenham respeito um pelo outro e saibam que a humildade é a chave que abrirá todas as portas na vida de vocês. Esse ensinamento carrego como um dogma, por, exatamente por isso meu foi, é e será sempre minha grande inspiração.

Um ídolo

Algumas pessoas tem como ídolo, Roberto Carlos outras Ayrton

Senna outras o Pele e por aí vai. O meu ídolo é o Vanderlei Cordeiro de Lima, pelo atleta que foi, o que representou para o nosso Brasíl, um exemplo no esporte e na vida pessoal.

Campeão dos jogos Pan-americanos, medalha de bronze nos jogos olímpicos de Atenas 2004, todos se lembram do episódio, no 36º quilômetro estava liderando a prova quando foi agarrado pelo padre irlandês. Tive a honra em conhecer quando fui participar da Maratona de Porto Alegre (16 de Junho 2013). Um grande atleta com reconhecimento mundial, consegue superar como pessoal tamanho humildade.

 As corridas

Já fiz várias maratonas e alguns amigos corredores me perguntam se nunca pensei em fazer uma ultramaratona. Na verdade nunca pensei e não tenho pretensão. Para mim a diferença entre a maratona e a ultramaratona, são alguns aspectos como tempo de corrida, percurso, distância e exige uma preparação muito especial além de muito foco e determinação. Não que goste de ficar em minha zona de conforto, mas a maratona satisfaz aquilo que busco e preso.

 Minha preparação para uma corrida

 Minha preparação é tranquila, treino de 5 a 6 vezes na semana, algo em torno de 55 a 65 km. De segunda a sexta de 7 a 12 km e no final de semana sempre realizo treinos longos de 20 a 34 km. Procuro fazer esse tipo de treino sempre focando nas maratonas. Uso as provas oficiais de 10km ou 21km como treino de ritmo e resistência.

O sonho de corredor

Tenho duas provas como sonho de consumo e de realização pessoal:

A Maratona de Nova York, por ser a mais famosa, com toda sua história, com o maior número de espectadores nas ruas assistindo e incentivando os atletas, fora o fato de você,  essa corrida poder dizer que realmente você conheceu a capital do mundo.

A meia maratona de Fernando de Noronha, por ser no meu entender o mais belo cenário de corrida no Brasil e quem sabe, no mundo.

Não precisa de legendas

Correr é turistar

Não existe nada melhor que correr e turistar. Unir essas duas paixões não tem preço, é algo que nos enriquece por permitir conhecer pessoas e culturas diferentes faz com que valorizamos o que temos aqui e o que podemos melhorar como cidadão é contribuir no que for a nossa parte, nosso país.

Família e trabalho

Fora o trabalho que está em primeiro lugar, por incrível que pareça, sempre procuro conciliar a nossa vida familiar, a corrida e o trabalho.

Por exemplo, antes de marcar as férias procuramos consultar o calendário de corridas seja aqui, seja lá fora. Até hoje tem dado certo. Procuramos como família um equilíbrio em tudo, valendo inclusive para o lado social.

 A corrida desafiadora

A corrida mais desafiadora que fiz foi o Desafio do Dunga, na Disney, neste ano.

Eu e ela, momento criança na Disney

Um dos motivos, pela realização , satisfação de concluir essa prova, pois ali estava finalizado também 78 km em  4 dias consecutivos, primeiro dia 5 km, segundo dia 10km, terceiro dia 21 km e quarto dia 42km. Fazer essa corrida foi realizar um sonho de criança (conhecer a Disney) (risos) e realizar uma brincadeira de adulto

As corridas mais difíceis

 Procuro antes de qualquer prova conhecer e estudar o percurso, ai fazer dentro das minhas limitações administrando os obstáculos que forem surgindo.

Mas, de todas as corridas que fiz até hoje posso afirmar que é brincadeira de gente grande fazer os 21km Caminhos do Mar, em São Paulo. Visual lindo e maravilhoso, digno de um pôster, mas com percurso desafiador. Para mim foi a mais difícil de minha vida de corredor. Acredito que foi a única, as demais foram tranquilas, pois, procuro escolher aquelas corridas que ainda não fiz e antes de fazer a inscrição pesquisar o percurso e planejar a estratégia da prova.

 Os conselhos para quem está começando agora

 Primeiro passo buscar uma avaliação médica, cardiologista, tudo ok, liberado, se possível  também  procura a orientação de um profissional da área . Tentar fazer aquele esporte  que mais gosta, isso é algo individual, particular, será um momento somente seu, e não tenta fazer nada pra agradar ninguém a não ser você . Sempre em mente  respeitar seu limite e faça por amor.

 Depois da prova já não as chamo de corridas, mas de desafios, porque cada uma tem um quê de individual, cada uma é única. Até hoje conclui os desafios abaixo:

25 Maratonas

81 Meia maratonas

12 São Silvestre

254 provas concluídas

 E na Meia Maratona Internacional de São Paulo fui convidado para ser o Embaixador da corrida. Um presente que nunca imaginei…

E daqui a 10 anos

Espero daqui a 10 anos, está com muita saúde, ai sim, fazendo umas corridinhas de leve.

 Os próximas desafios

 Costumo acompanhar o calendário de corrida, aquelas que considero interessante procuro realizar, principalmente fora de São Paulo, pois o objetivo é correr pelo nosso Brasil e outros países assim que surgir oportunidade. Deixo acontecer naturalmente .

 Os próximos desafios serão: Maratona de Porto Alegre, em maio/20; a Maratona São Paulo City em junho/20 e a São Silvestre (procuro fazer todo ano). Acredito finalizar o ano com 34 provas concluída.

 

Patrícia Sampaio

 

Falar do meu padrinho é muito fácil, fácil porque só vejo coisas boas.

Eu e meu tio.

É muito bom ter admiração por ele, é uma pessoa que tenho muito orgulho, por ser um ótimo marido, um super pai e um coração gigante.

Sua simplicidade ao falar, ao agir é de impressionar.

Essa garra que ele tem reflete coragem em toda família, em fazer com que criemos novos hábitos, costumo brincar com ele que quando eu crescer quero ser exatamente como ele.

Tranquilo,centrado,paciente sabe onde quer chegar e dar forças a aqueles que precisam.

Acho que falei bastante né?! rrrsssss. Mas o Aroldo é isso e mais um pouco.

Já falei isso com ele, mas vou repetir aqui…dedico a música É Ser Humano ( Zeca pagodinho à ele)

Professor Luís Tavares

Aroldo uma pessoa maravilhosa como pessoa e como atleta.

Dedicado em tudo que faz com capricho e determinação.

Sempre participando de nossas viagens que organizamos com fibra, e companheirismo! Parabéns por tudo que você é!

Norberto Tsutsuda.

 

Um amigo que a corrida me deu

Falar do Aroldo é muito fácil, pois apesar de fazer poucos anos que conheço, parece que já conheço a anos pois é uma pessoa simples, tranquila, sempre pra frente, muito educado, sempre incentivando as pessoas nas mídias sociais, portanto apesar de a gente não se encontrar muito temos uma amizade excelente de muito respeito..

Nas corridas apesar de correr para curtir e manter a saúde, ele vira um monstro pois ele é um corredor muito disciplinado, determinado, paciente e perseverante mas para isso é muito dedicado e centrado nos treinamentos diários…Parabéns!!!..continue sendo esta pessoa admirada por muitos e esse esportista dedicado principalmente para manter a saúde!..

 

Estamos juntos e vamos que vamos!!!