A importância da prevenção em corredores

Sabemos que a corrida no âmbito recreativo vem crescendo nos últimos anos, muitas pessoas visam buscar uma melhor qualidade de vida, melhora da performance, porém acabam esquecendo de se preparar para tal atividade.

A corrida é muito benéfica para a saúde desde que praticada corretamente e supervisionada pelo professor de educação física.

Muitas lesões acabam acometendo atletas de corrida e as principais são: Fascite plantar, Síndrome do trato iliotibial, síndrome do estresse tibial medial (canelite), bursite trocantérica e tendinites.

Para evitar tais acometimentos, o atleta deve realizar uma boa avaliação postural antes de começar os treinos e se possível uma avaliação biomecânica da corrida afim de identificar alterações que possam vir a trazer problemas para o corredor. Alguns tipos de exercícios são de extrema importância quando se fala em prevenção de lesões na corrida e aqui listarei eles:

  • Exercícios de fortalecimento de panturrilha, são importantes para a fase de propulsão da marcha, sendo muito exigida durante a corrida e estando ligada no tendão de Aquiles no qual também se liga com a fáscia plantar.
  • Exercícios que visam propriocepção (exercícios de equilíbrio) e reforço da musculatura do tibial posterior, podem prevenir lesões como a “canelite”.
  • Exercícios de GLÚTEO MÉDIO, um dos principais músculos responsáveis pela estabilização do quadril durante a marcha/corrida e por vezes esquecido de ser reforçado, ajuda e muito a prevenir lesões no quadril, por exemplo, bursites trocantéricas e síndrome do trato iliotibial além de lesões que podem ser acometidas no joelho também.
  • Reforço de posterior de coxa visa proteger o corredor de lesões musculares já que esse grupo muscular é bastante exigido em treinos de alta intensidade e em aclives(subidas).
  • A estabilização central (CORE) ajuda a manter o corredor na postura adequada durante todo o treino, com CORE bem reforçado, o atleta está prevenindo lesões na coluna lombar e com a postura correta, também está economizando energia durante os treinos/provas mais longas.
  • A liberação mio fascial deve estar sempre presente na rotina dos atletas, pois com a fáscia (tecido que fica entre o músculo e a pele) liberada, facilita não só a contração muscular durante os treinos de reforço muscular como também durante a execução da corrida, a pessoa tem a sensação de estar correndo com a perna mais “solta”.

Por fim, jamais esquecer dos alongamentos, esses são sempre benéficos para evitar tendinites e para a musculatura que está sempre sendo exigida.

 

Luis Fernando Pato – fisioterapeuta