Luiz Diniz, um corredor do bem

Minha iniciação no mundo das corridas de rua se deu logo que cheguei em São Paulo, vindo de Belém do Pará, há cerca de 17 anos, entre 2001-2002, morava próximo a uma das praias do paulistano, o minhocão, observava algumas pessoas se exercitando por lá e assim comecei a fazer o percurso de aprox. 6km entre a praça Roosevelt e a praça da igrejinha em Perdizes, comecei por necessidade e recomendação médica, para encontrar um modo de ter saúde para encarar os desafios da vida moderna.

Tomei a decisão de fazer o meu primeiro desafio na corrida motivado pelo exemplo de um primo que veio a São Paulo fazer a Maratona Internacional de São Paulo, no ano de 2002, pensei que se ele podia, eu poderia também fazer o mesmo.

E assim como milhares de pessoas incautas, levadas por indução e empolgação, decidi me inscrever na minha primeira corrida: a Maratona Internacional de São Paulo de 2003, sem ter a mínima noção do que seria necessário para cumprir esse desafio.

Antes da maratona fiz uma prova: O Dia do Desafio Olímpico, promovida por ocasião da candidatura da cidade de São Paulo a sede dos jogos olímpicos, num percurso de 10 km concluídos em aproximadamente 1:03:00, e segui fazendo meus treinos de final de semana achando que estava abafando e conseguiria concluir a maratona com um tempo de 4:20:00… ledo engano!

Cometi a primeira tolice no mundo das corridas, e as únicas coisas boas que me lembro bem desse dia foi o Roberto Louzada, professor e ultramaratonista trotando, gritando e sorrindo e nos incentivando a continuar e persistir, e do meu atrevimento com o motorista do ônibus ‘cata ossos’ que recolhia os que desistiam pelo caminho, eu me recusava a entrar nele quando o motorista parava ao meu lado e abria a porta como que convidando a embarcar.

Fiz os primeiros 16 km da prova correndo e os 26 restantes caminhando, ou melhor, me arrastando. No final consegui chegar alguns minutos antes do corte, com algumas unhas perdidas, muita dor e cansaço, e recebi a minha primeira medalha e me tornei um maratonista!

Anúncios

Resultado: passei dois dias sem andar direito, todo travado.

Este episódio, apesar de contundente, não me alijou das corridas, pelo contrário, logo depois fui procurar uma assessoria no Ibirapuera, e escolhi entre algumas consultadas a E.C. Tavares do nosso amigo Luís Tavares, pessoa a quem sou grato, onde tive a oportunidade de aprender e gostar da corrida, o esporte mais democrático e natural para praticarmos.

Mesmo tendo frequentado uma assessoria de corrida, não fui muito hábil em evitar lesões e algumas interrupções na minha trajetória de corredor. Em uma dessas paradas forçadas na corrida fiz natação no Sesc para me recuperar de lesão e sobrepeso pela falta de treinos, e entrei em contato com o triathlon e assim conheci minha outra paixão esportiva.

Nesse esporte conquistei meus primeiros pódios e troféus por categoria, e desde então venho tentando me manter neste esporte caro e seletivo.

Nos dias atuais, após algumas centenas de corridas, curtas, longas, rústicas, de pistas, de ruas, de montanhas, meias maratonas e maratonas, uma ultra em que conquistei meu único pódio em corridas, e milhares de quilômetros percorridos, consigo me identificar e me definir bem nesse mundo das corridas como um adepto amador e diletante, definição adotada pelo Dr.Drauzio Varella. Me considero também um incentivador e apoiador da corrida saudável, ou seja, a corrida sem lesões e com prazer. Evito fazer inscrições indiscriminadas em corridas, sem ter objetivos específicos, afinal, o que levamos das corridas não são apenas camisetas e medalhas, e sim aquelas memórias que construímos com a nossa corrida consciente, com os amigos e pelas percepções do entorno que formam essa memória, o resto vai pra uma gaveta e um varal de medalhas.

Atualmente estou treinando com os multi-campeões Cláudio Jose Roque, o Mineirinho e com Herói Fung, com a finalidade de correr com mais eficiência e mais saúde e me beneficiar da corrida como fonte de prazer, fazendo novos amigos e incentivando as pessoas que nos admiram e querem começar a correr e se divertir.

Minha formação acadêmica é de arquitetura e urbanismo, sou também profissional de tecnologia e em busca de novos desafios, vendi meu carro a 5 anos e estou tentando me locomover de bike pela cidade. Aliás, estou fazendo um curso de mecânica de bicicletas.

Sou uma pessoa do bem, espiritualizado e em busca da iluminação.