Atividade Física no Calor: o que acontece e o como correr em dias quentes

Dificilmente encontraremos um corredor que nunca sentiu dificuldade durante a atividade física em temperaturas elevadas. Este desafio em correr no calor acontece quando a temperatura externa alia-se ao aumento da temperatura corporal vindo das contrações musculares durante a corrida. Neste texto, a produção e as formas de eliminação de calor e a interação com o meio ambiente, a interação com os valores da Umidade Relativa do Ar e algumas recomendações sobre o que deve ser feito nestes ambientes serão explicados.

Antes de explicar a produção de calor e as formas de dissipá-lo, vamos pensar no funcionamento de um ar condicionado, quando o motor do aparelho trabalha para que a temperatura desejada seja mantida constante. Em contrapartida, algumas gotas de água pingam do lado externo.

Com o nosso organismo, acontece a mesma coisa. Pelo fato do ser humano ser um animal homeotérmico (que mantém a temperatura constante em 36,5ºC), quando ocorre a produção de calor, ele pode ser eliminado através da Evaporação (através do suor), da Radiação (raios infravermelhos), da Convecção (fluxo de ar quente expirado), da Indução (contato com objeto frio) e da Respiração (aquecimento dos gases respiratórios). Dentre estas formas de eliminação, a principal delas utilizada na atividade física após o aumento da temperatura vindas das contrações musculares é a Evaporação, quando taxa de sudorese depende dos fatores do meio ambiente.

Com o funcionamento da eliminação do calor explicada após a elevação da temperatura interna vinda de uma sequência de contrações musculares explicada, será tratada a interação do organismo com a temperatura ambiente e com a Umidade Relativa do Ar.

Quando a temperatura externa se eleva, ocorre um trabalho maior dos órgãos (pulmões e coração, principalmente) e dos músculos durante a corrida. Com este “trabalho extra” destes tecidos do organismo, maior será a taxa de sudorese para que a temperatura corporal seja mantida nos 36,5ºC.

Outro fator importante no ambiente que interfere no rendimento do corredor é a quantidade de partículas de água existentes no ar, que dificulta a dissipação de água produzida pelo organismo através do suor. O nome desta concentração de partículas de água chamamos de Umidade de Relativa do Ar. Quanto maior a quantidade de água concentrada no ambiente, mais difícil fica a eliminação do suor, consequentemente trazendo uma queda de rendimento nos treinos e nas provas. Já que a quantidade elevada de água prejudica o rendimento, então o melhor cenário para a corrida seria se não tivesse nenhuma partícula de água no ambiente, certo? Errado, pois a baixa umidade relativa do ar dificulta a dispersão dos poluentes, ressecando as mucosas das vias respiratórias. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), os valores ideais da Umidade Relativa do Ar ficam entre 40% e 70%, tanto para a saúde quanto para a prática de exercícios físicos.

Anúncios

Em ambientes quentes, muito secos e muito úmidos, o ideal para o corredor seria começar os treinos e as provas antes das 7h ou após às 18h, evitando ao máximo se exercitar em horários próximos ao meio-dia, quando geralmente a temperatura máxima é atingida e o ambiente fica seco.

O fator importante nestes dias é a preocupação com a hidratação nos dias quentes e úmidos. Uma vez que o suor nada mais é do que perda de água, líquidos precisam ser repostos ao organismo para que seja evitada a desidratação que, dependendo do grau dela, pode levar o indivíduo até a morte. Outro detalhe que necessita atenção é a temperatura da água, sendo que quanto mais gelada ela estiver, mais rápida a absorção líquida no organismo.

A vestimenta ideal para estes dias seria a utilização de roupas que facilitem a eliminação do suor e que não aconteça a retenção de água. Uma camiseta de algodão, por exemplo, facilita a retenção de água no tecido e não são recomendados na prática de exercícios físicos (em especial em dias de calor).

Para muitos, é muito prazeroso correr no calor, mas nos climas quentes, úmidos e secos, o corredor necessita de muita atenção com a hidratação e com a intensidade de exercício. Quanto mais cauteloso ele for na corrida nestes dias, melhor será o desempenho dele. Por isso, tomar um copo de água (gelada, de preferência) a cada 15 minutos e utilizar a vestimenta adequada é de extrema necessidade para a prática de exercícios físicos.

Marco Costa

Marco Costa

Corredor desde 1998. Graduado em Educação Física (UniFMU-2003); Pós-Graduado em Treinamento Desportivo (UniFMU-2005), Fisiologia do Exercício (UNIFESP/EPM-2006) e Administração e Marketing Esportivo (Universidade Gama Filho-2013). Treinador de Corridas de Rua, Personal Trainer e Professor Escolar para Ensino Fundamental e autor do livro "DESAFIO DO DUNGA: Superações Física, Mental e Pessoal em duas Edições", Editora 4Letras, 2016.

Deixe uma resposta