11 fatos que fizeram de Paul Tergat um fenômeno nas corridas

A Corrida Internacional de São Silvestre está proxima e Sangue de Corredor se propôs a preparar algumas materias sobre esta que é a maior e mais famosa corrida de rua da America Latina e uma das mais famosas do mundo.

Nossa primeira materia não poderia deixar de tratar de uma lenda vida nas corridas, o maior vencedor da São Silvestre: Paul Tergat.

Paul Tergat, fenômeno das pistas, o queniano que é conhecido tanto no Brasil, pelo pentacampeonato da São Silvestre, quanto no mundo, por ter sido recordista mundial da maratona e ter duas pratas olímpicas, é embaixador do programa da Organização das Nações Unidas contra a fome desde 2004.

Abaixo elencamos algumas curiosidades interessantes, sobre ele. Veja:

I – 2h04min55 – Recorde mundial estabelecido por Tergat em 28 de setembro de 2003, na Maratona de Berlim. Quatro anos depois, na mesma prova alemã, o grande rival do queniano, o etíope Haile Gebrselassie, baixou a marca: 2h04min26, no dia 30 de setembro de 2007.

II – 1h03min01 – No dia em que fez a marca histórica, Tergat registrou um belo split negativo, ou seja: fez a segunda metade da prova em tempo melhor (1h01min54) do que a primeira (1h03min01). Mestre na arte de dosar as energias.

Anúncios

o queniano provou que um cérebro bem treinado governava a esplêndida máquina de correr movida por finas canelas.

III – 9 décimos de segundo – Essa foi a diferença entre Gebrselassie (27min18s20) e Tergat (27min18s29) na final olímpica dos 10.000m, em Sydney. A final, tão apertada numa prova tão longa, é considerada, até hoje, um dos momentos mais emocionantes da história do atletismo nos Jogos.

IV – Os 3 – Naquela prova, os três etíopes trabalharam taticamente, “encaixotando” Tergat na raia 1. A estratégia complicou sobremaneira a tarefa do queniano, que teve que lutar para escapar para a raia 3 e ainda dispender muita força para recuperar terreno perdido. Tergat até hoje condena a atitude dos “escudeiros” etíopes de Gebrselassie. São eles: Assefa Megzebu, que conquistou o bronze (27min18s20) e Girma Tolla (11º, com 27min49s75).

Tergat até hoje condena a atitude dos “escudeiros” etíopes de Gebrselassie

V – 2h05min48 – Recorde queniano estabelecido por Tergat no dia 15 de abril, na inesquecível Maratona de Londres de 2002. Naquela prova, o marroquino naturalizado norte-americano Khalid Khannouchi melhorou o recorde mundial (2h05min38), que já lhe pertencia. Tergat teve, na maratona londrina, quinze anos atrás, o gostinho de superar Gebrselassie, que estreou naquele dia nos 42,195km. Gebrselassie cravou, naquela enlouquecedora disputa, o recorde etíope (2h06min35).

VI – 240 km – Era a quantidade semanal de quilômetros que Tergat treinava durante seu auge físico. Na época, realizava dois treinos de pista e um treino longo por semana. O treino longo, às vezes, era feito em trilhas em meio à floresta. Musculação? É claro que também fazia.

VII – 18 anos – Nessa idade é que Tergat, que até então apostava no basquete, percebeu que levava jeito para a corrida. Resolveu então, sabiamente, investir no atletismo.

VIII – 5 anos – Há cinco anos, Tergat parou de correr. O encerramento de atividade do ex-recordista mundial foi triste. Um motorista descuidado, que acelerava forte numa estrada queniana, não percebeu que o caminhão à sua frente freou. Para evitar o acidente, jogou o carro para a faixa ao lado, por onde trafegava o carro do atleta. A lesão que sofreu na perna o impede de correr até hoje.

XIX – 13 anos – Há 13 anos, Tergat corria atrás de Vanderlei Cordeiro de Lima e acreditava que o brasileiro venceria a Maratona Olímpica de Atenas. Foi quando o ex-padre irlandês Cornelius Horan segurou o paranaense, que perdeu tempo e a liderança, e acabou chegando na terceira colocação (2h12min11), atrás do italiano Stefano Baldini (2h10min55) e do eritreu naturalizado norte-americano Mebrahtom Keflezighi (2h11min29). Tergat concluiu a prova, disputada sob clima quente e seco, no top ten (2h14min45). Mais exatamente na 10ª posição.

X – As 3 – medalhas em Mundiais de Atletismo, sempre nos 10.000m, foram obtidas por Tergat. Prata em Atenas-97 e Sevilha-99 e um bronze em Gotemburgo-95. Em Sevilha, Gebrselassie se sagrou tetracampeão mundial nessa prova.

XI – São Silvestre um capítulo à parte

Principal e mais antiga prova de rua do Brasil, a São Silvestre não é uma competição marcada por registrar novas marcas com frequência. A corrida vive o mais longo tabu de sua história: faz 22 anos que o recorde da disputa masculina foi cravado. Desde então, mesmo com corredores famosos, nada mudou.

Foi em 1995, ano em que o queniano Paul Tergat venceu o primeiro de seus cinco títulos em incríveis 43min12s. Considerando apenas as edições em que a prova teve 15 km, ou seja, a partir de 1991, ninguém conseguiu ser mais rápido do que ele. E concitunou vencendo, 1996, 1998, 1999 e 2000.

Antes dele, o recorde era do queniano Simon Chemwoiywo, com 43min20 na São Silvestre de 1993. Depois dele, apenas cinco campeões venceram com tempo abaixo de 44 minutos. O próprio Tergat correu em 43min50, em 1996, e em 43min57, em 2000; o brasileiro Marílson Gomes dos Santos correu em 43min50, em 2003; o etíope Tariku Bekele correu em 43min35s, em 2011; e o queniano Edwin Kipsang correu em 43min47s, em 2013.

Hoje, Paul Tergat, não está mais correndo, devido a um grave acidente em 2015. Seu carro ficou prensado entre dois caminhões, mas mantem recorde histórico da São Silvestre com o tempo de 43m12. Uma lenda viva!!!

Principais Conquistas

– Prata nos 10.000m nas Olimpíadas de 1996 (Atlanta) e 2000 (Sydney)

– Prata nos 10.000m nos Campeonatos Mundiais de 1997 e 1999

– Bronze nos 10.000m no – Campeonato Mundial de 1995

– Pentacampeão mundial de cross country, de 1995 a 1999

– Bicampeão mundial da meia maratona em 1999 e 2000

– Pentacampeão da São Silvestre (1995, 1996, 1998, 1999 e 2000)

– Campeão das maratonas de Berlim 2003, Nova York 2005 e Lago Biwa (Japão) 2009

 Marcas em Maratonas

– Londres 2001 – 2:05:15 (2º)

– Chicago 2001 – 2:08:56 (2º)

– Londres 2002 – 2:05:48 (2º)

– Londres 2003- 2:07:59 (4º)

– Berlim 2003 – 2:04:55 (recorde mundial até 2007)

– Olimpíada de Atenas 2004 – 2:14:45 (10º)

– Londres 2005 – 2:11:38 (8º)

– Nova York 2005 – 2:09:30 (1º)

– Nova York 2006 – 2:10:10 (3º)

– Lake Biwa 2009 (Japão) – 2:10:22 (1º)

 Recordes pessoais

– 10.000m – 26:27.85 (Bruxelas 1997)

– 10 km – 27:51 (Milão 1999)

– 15 km – 42:04 (Milão 1998)

– Meia maratona – 59:17 (Milão 1998)

– Maratona – 2:04:55 (Berlim 2003, recorde mundial)

Deixe uma resposta