O maratonista mais velho do mundo

Sangue de Corredor, atento ao mundo das corridas, foi buscar uma pequena parte da história deste que foi e continua sendo o maratonista mais velho do mundo.

Vale a pena conhecer um pouco da sua história.

Fauja Singh nasceu em Beas Pind, Jalandhar, Punjab, Índia Britânica em 1 de abril de 1911. O menor de quatro filhos, Fauja não desenvolveu a capacidade de caminhar até os cinco anos de idade. Suas pernas eram magras e fracas, e dificilmente podia andar longas distâncias.

Quando  jovem, Fauja tornou-se um ávido corredor amador, mas desistiu na época da emancipação da Índia-Paquistão de 1947.

Foi só depois de testemunhar a morte de seu quinto filho, Kuldip, em um acidente de construção em agosto de 1994, que Fauja voltou à sua paixão por correr, em 1995.

A morte de sua esposa em 1992 e da filha mais velha, que morreu de complicações depois de ter dado à luz a sua terceira neta, deu-lhe a motivação que faltava para essa nova fase de sua longa vida..

Anúncios

Ele emigrou para a Inglaterra na década de 1990 e vive com um de seus filhos em Ilford. Aos 81 anos Fauja redescobriu o prazer de correr e a partir dai participou de diversas corridas pelo mundo. Mas somente aos 89 anos foi que ele  acabou se rendendo efetivamente e passou a levar a sério as corridas.

Quando ele começou a treinar em Redbridge, Essex, ele estava vestido com um terno de três peças. O treinador teve que retrabalhar tudo, inclusive seu vestuário.

Singh efetuou sua primeira corrida, a Maratona de Londres, em 2000, aos 89 anos. De acordo com seu treinador, ele costumava correr até 20 quilômetros facilmente e queria correr uma maratona, pensando que era apenas 26 quilômetros e não 42,195 Km.

Só muito depois que ele percebeu isso e quando começou a treinar sério. Singh atingiu a fama quando, aos 93 anos, completou a distância de 26,2 milhas em 6 horas e 54 minutos. Esse feito foi abaixo em 58 minutos do tempo do recordista mundial, para qualquer pessoa na faixa etária de 90 anos.

Singh tem 172 cm de altura e pesa 52 kg. Ele atribui sua aptidão física e longevidade a abstinência de fumo e álcool e seguir uma dieta vegetariana simples. Ele foi citado como dizendo: “Tenho muito cuidado com os alimentos diferentes. Minha dieta é simples phulka, dal, vegetais verdes, iogurte e leite. Eu não como parathas, pakoras, arroz ou qualquer outro alimento frito. Tomo muita água e chá com gengibre … Eu vou para a cama cedo tomando o nome do meu Rabba (Deus), pois não quero todos esses pensamentos negativos cruzando minha mente “.

Falando sobre a maratona, ele disse: “As primeiras 20 milhas não são difíceis. Quanto às últimas seis milhas, eu corro enquanto converso com Deus”.

“Sikhs in the City”

Ele é o mais velho de um grupo de sikhs que se chamam “Sikhs in the City”, formados há mais de 10 anos. Havia outros três Sikhs, com 79, 79 e 80 anos, na equipe “Golden Oldies”, que atuou na Maratona de Edimburgo em 2009. O grupo da SITC é agora uma equipe bem estabelecida, com sede em East London, participando de maratonas em todo o mundo com grupos inter-religiosos e arrecadando dinheiro para as instituições de caridade de Fauja Singh.

Realizações

Fauja ja participou 5 vezes da Maratona de Londres, 2 vezes da Maratona de Toronto e 01 vez da maratona de Nova York.

Sua estreia em maratonas não poderia deixar de ser emblemática. Foi na maratona de Londres de 2000, aos 89 anos. A partir daí, colecionou medalhas em maratonas, mundo a fora:

London Marathon 2000, com o tempo de 6:54;

London Marathon 2001, com o tempo de 6:54;

London Marathon 2002, com o tempo de 6:45;

Bupa Great North Run (Half Marathon) 2002, com o tempo de 2:39;

London Marathon 2003, com o tempo de 6:02;

Toronto Waterfront Marathon 2003, com o tempo de 5:40;

New York City Marathon 2003, com o tempo de 7:35;

London Marathon 2004, com o tempo de 6:07;

Glasgow City Half Marathon 2004: com o tempo de 2:33;

Capital Radio Help a London Child 10 Km 2004, com o tempo de 1:08;

Toronto Waterfront Half Marathon 2004, com o tempo de 2:29:59;

Toronto Waterfront Marathon 2011, com o tempo de 8:11:06;

Maratona de Hong Kong (10 km) 2012, com o tempo de 1:34 (arrecadou $ 25,800 para a sua instituição de caridade)

Maratona de Hong Kong (10 km) 2013, com o tempo de 1:32:28;

Prêmios

Em 13 de novembro de 2003, Singh recebeu a Medalha de Honra da Ellis Island pela National Ethnic Coalition, um grupo que defende o orgulho e a tolerância étnica. William Fugazy, o presidente da coalizão, disse que Singh é um símbolo da tolerância racial, e seu trabalho ajuda a reduzir a lacuna criada pelos atentados terroristas de 11 de setembro. “Ele é a maior inspiração”, disse Fugazy, e acrescentou que Singh foi o primeiro não-americano a receber a honra.

Ele recebeu, também, o título “Orgulho da Índia” por uma organização baseada no Reino Unido por suas conquistas em 2011.

Fauja Singh foi convidado para a 2ª Corrida Anual Chardikala na Malásia. A corrida recebeu um tema “101 e correndo” como uma marca de respeito por Singh. Por sua participação e seu modo de ser recebeu calorosa ovação da multidão e também recebeu o prêmio The BrandLaureate durante a cerimônia de encerramento da prova.

Singh recebeu uma resposta acolhedora do povo da Malásia. Foi escoltado para o local Chardikala Charitable Fun Run, Astaka em Petaling Jaya, pelo Malaysian Bikers Group. Singh marcou o início da Maratona. A atitude de Fauja Singh foi louvada, especialmente porque ele havia participado da Standard Chartered Singapore Marathon na mesma manhã, mas estava em pleno espírito de reunião, saudação e sendo uma parte importante de um dia bem sucedido

Sua biografia, foi formalmente lançada no Attlee Room of Britain’s House of Lords em 7 de julho de 2011 por Lord Anthony Young de Norwood Green e o juiz da Suprema Corte britânica aposentado, Sir Mota Singh. O livro foi escrito pelo colunista e escritor Chandigarh Khushwant Singh.

Como vocês podem ver, para correr, não tem idade!!!

 

Deixe uma resposta